Notícias

EXCLUSIVO: parente de Cartaxo investigado na ‘Cidade Luz’ recebia propina para tentar implantar esquema na prefeitura de JP

Cada vez mais vai ficando claro o papel do parante de Luciano Cartaxo (PV), o empresário Felipe Cartaxo de Sá, na ‘Operação Cidade Luz’, que investiga uma esquema de propina a grupos políticos na cidade de Patos, envolvendo contratos com empresas de iluminação pública e desviando cerca de R$ 730 mil em 10 meses.

De acordo com o inquérito do Gaeco, Felipe era o intermediário entre a prefeitura de Patos e as empresas fraudulentas, neste caso, a Enertec.

Fora o percentual de 5% das medições, que era o valor “retornado” aos agentes públicos que firmaram contratos de licitação com as empresas fraudulentas, Felipe recebia R$ 1 mil que serviria como gratificação e “estímulo” para que o mesmo levasse o acordo criminoso para outras prefeituras.

A investigação do Gaeco aponta que um dos objetivos do grupo era implantar o mesmo esquema criminoso na iluminação pública da orla de João Pessoa, cidade gerida pelo familiar de Felipe Cartaxo.

Veja:

You Might Also Like