Notícias

Delatado e investigado: Cássio diz que “você não pode manter alguém preso por tanto tempo, pois quebra psicologicamente o sujeito”

Durante entrevista concedida a um programa de rádio da Capital, na tarde desta segunda-feira (8), o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) comentou sobre a citação do seu nome em delação da Odebrecht. De acordo com o parlamentar, as delações premiadas, em breve poderão ser caracterizadas como tortura psicológica. 


O senador paraibano é suspeito de receber R$ 800 mil em vantagens indevidas para favorecer a Odebrecht. As investigações foram solicitadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) segundo as delações premiadas de executivos e ex-executivos da empresa. Ele está citado na lista que o delator, o ministro Luiz Edson Fachin divulgou.
 
Sobre as delações premiadas da Odebrecht e suas repercussões no país, ele afirmou que não se caracteriza como tortura psicológica alguém ficar preso por determinado tempo com a proposta de delação. Segundo Cássio, porém, chegará “o momento em que a própria academia, o mundo jurídico, os tribunais superiores irão dizer: ‘você não pode manter alguém preso, em caráter provisório, por tanto tempo porque você quebra psicologicamente o sujeito’”. 




Além de ser citado na delação, Cássio também é investigado por “dinheiro voador”, conhecido também como “Caso Concorde”. A Operação Concorde, da Polícia Federal, apurou esquemas de desvios de recursos e lavagem de dinheiro na campanha eleitoral do PSDB em 2016, onde literalmente  choveu dinheiro do Edifício Concorde, em João Pessoa.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>